Jornal Diário da Região – Osasco Carapicuíba Barueri Jandira Itapevi Santana de Parnaíba Pirapora
..
....
..


..
..
..
..
 
..
....
Principal Animais Educação Especiais Saúde Turismo Gastronomia Consumidor
  Opinião   Lazer   Geral                
Edição: Terça-feira, 31 de março de 2015


Atualizado em 19/02/2010

Osasco completa 48 anos de emancipação


Antigo bairro da Capital se transformou na 14ª cidade mais rica do Estado de São Paulo e que, agora, prepara o seu cinquentenário

Da redação
(cotidiano@webdiario.com.br)

Osasco foi emancipada, oficialmente, em 19 de fevereiro de 1962. Mas o caminho entre a então vila da Capital e a cidade começou a ser traçado muito tempo antes.

A cidade já surgiu como parte da rota dos bandeirantes que desbravavam o Estado. Registros históricos indicam a existência de povoamento nessa área desde o século XVII quando, em 1634, as terras do bairro de Quitaúna pertenciam ao bandeirante Antônio Raposo Tavares.

Durante o século XIX, além desses sítios, também eram ocupados a Fazenda Jaraguá, que pertencia ao general França Horta e onde se minerava ouro, e a aldeia de pescadores que ficava às margens do Tietê, mais conhecida hoje como Vila dos Remédios.

Foi no final do século XIX, o imigrante italiano Antônio Agu adquiriu algumas glebas de terra nessa região. Empreendedor, ele iniciou no local a produção de tijolos, em uma pequena olaria. E, para trabalhar no local, chegaram as primeiras famílias de trabalhadores, a maioria também vinda de outros países. Eles foram se instalado às margens da estrada de ferro, que já cortava a região, e que em 1895 ganhou uma estação, construída por Antônio Agu e doada à empresa ferroviária. Seu único pedido foi chamá-la de Estação de Osasco, uma homenagem a sua cidade natal, na Itália.

Na década seguinte, Antônio Agu arrendou sua olaria ao barão Evaristhe Sensaud de Lavaud, que se associou aos franceses Joseph Levy, Hermann Levy e Artur Kalm, criando a fábrica de tubos e Cerâmica Sensaud de Lavaud & Cia.

Paralelamente, em sociedade com Henrique Dell'Acqua, Agu instalou uma fábrica de tecidos. Em seguida, em 1892, implantou uma indústria de cartonagem em sociedade com Narciso Sturlini. E, em 1908, Sturlini se associou a Nicolau Matarazzo e foi criada a Sturlini & Matarazzo, primeira fábrica de papelão da América Latina, que passou a ser conhecida como “Cartieira”.

Mas Osasco também se desenvolvia em outras regiões. O ferreiro Manoel José Rodrigues adquiriu terras entre o rio Tietê e a linha Sorocabana, criando o bairro do Maneco, atual Bonfim.
Em 1915, foi a vez da implantação da Continental Products Company, frigorífico no bairro de Presidente Altino e que, em 1934, passou a chamar-se Frigorífico Wilson.

Em 1918, Osasco, até então uma vila, foi elevada à condição de distrito de São Paulo. E, em 1922, ganhou um serviço de balsa para travessia do Tietê. Neste mesmo ano, o exército brasileiro instalou uma unidade militar na região onde se localizava o antigo sítio de Antônio Raposo Tavares, promovendo a ocupação da área onde hoje é o bairro de Quitaúna.

Em 1923, chega a luz elétrica. E, no ano seguinte, é inaugurado o primeiro cemitério da cidade.



Crescimento

A economia ganha novo impulso em 1929, com a instalação da Fábrica de Fósforos Granada e a oficina da Soma (Cia Sorocabana de Material Ferroviário). E, em 1930, a Hervy passa a produzir louça sanitária, sendo pioneira na fabricação desse material na América Latina.

Em 29 de março de 1931 foi inaugurada a Igreja Matriz de Santo Antônio de Osasco, hoje Catedral de Santo Antônio.

A rede de transporte, nessa mesma época, contava com 3 estações ferroviárias (Presidente Altino, Osasco e Quitaúna) e linhas de ônibus que faziam a ligação Osasco – Pinheiros. E a região da atual Avenida dos Autonomistas já contava com moradias.

Nas décadas de 40 e 50, chegaram à região empresas de grande porte, sobretudo as de metalurgia pesada: em 1940, a Eternit; em 1944, a Cobrasma; em 1946, a CIMAF; em 1950, o Moinho Santista; em 1951, Lonaflex; e em 1952, a Benzenex. Em 1953 foi fundada a Cidade de Deus, matriz z do Bradesco e a Rilsan. Em 1955, veio a Osram; em 1957, a Braseixos Rockewell, Brown Boveri e Ford do Brasil e ainda em 1960, a White Martins.

Com esse crescimento, em 1944 Osasco passou de zona distrital para subdistrito da cidade de São Paulo. Mas os problemas se acumulavam: faltavam serviços básicos, como transporte, hospitais e escolas para a população que crescia.



Luta pela emancipação

Foi então que surgiu a Sado (Sociedade Amigos do Distrito de Osasco), que em 29 de julho elegeu sua primeira diretoria, tendo à frente o dentista Reynaldo de Oliveira. O grupo tinha como objetivo reivindicar da Capital melhores condições para o bairro.

Nessa luta, surgiu o movimento emancipacionista. E, em 1952, ele se tornou mais atuante, inclusive com a vinda de deputados ao então distrito para falar sobre a questão da emancipação.
Em 1953, foi marcada uma consulta popular sobre o tema, na qual a população deveria votar no “sim” ou no “não” à emancipação. E o “não” venceu.

O movimento emancipacionista começou, então, a analisar as causas da derrota. E sofreu outro duro golpe, com as promessas, pelo então prefeito de São Paulo, Jânio Quadros, de uma linha de ônibus até São Paulo e da construção de um Mercado Municipal, acalmando os mais insatisfeitos e fazendo cair a adesão ao “sim”.

Passaram-se então 5 anos até que a luta fosse retomada. Pelas leis da época, para haver plebiscito era necessário que pelo menos um terço dos eleitores de Osasco se inscrevessem até o dia 30 de abril. A meta foi alcançada e votação foi marcada para 21 de dezembro do mesmo ano.
No resultado final, dos 24 mil eleitores de Osasco, 8 mil votaram e o “sim” ganhou com diferença de 1300 votos. Mas a votação aconteceu cercada de polêmicas. Dentre as denúncias, moradores de outros distritos teriam votaram em Osasco, o que era proibido por lei. E até eleitores falecidos tiveram votos registrados.

Com isso, vieram os entraves judiciais. O então prefeito de São Paulo, Adhemar de Barros, conseguiu um mandado de segurança contra as primeiras eleições municipais, que já contavam com 269 candidatos a vereador, 6 a prefeito e 7 a vice-prefeito.

Após muita briga, a disputa foi marcada para 7 de janeiro de 1962, pelo Tribunal Regional Eleitoral. Mas um dia antes o prefeito da Capital conseguiu um mandado no Supremo Tribunal Federal. Os osasquenses fizeram então uma marcha até São Paulo para reivindicar o direito de votar. Uma bandeira negra também foi hasteada no Largo da Estação e, nos dias seguintes, o movimento chegou a parar o vale do Anhangabaú. Os manifestantes foram ainda à Assembléia Legislativa e decidiram seguir até o Palácio, mas foram barrados pelo Pelotão de Choque. Apenas dois representantes foram recebidos pelo governador, virando até notícia no jornal Times, de Londres. Outra forma de protesto dos autonomistas foi colocar urnas espalhadas pelo centro para que os eleitores devolvessem os seus títulos ao Tribunal Eleitoral.

As eleições finalmente ocorreram e Hirant Sanazar foi eleito o primeiro prefeito de Osasco, em 4 fevereiro de 1963. Ele obteve 9823 votos, dos 23283 votos válidos. Em 7 de fevereiro ocorreu sua diplomação, junto com os vereadores eleitos, e no dia 19 de fevereiro, aconteceu sua posse, fato que tornou Osasco oficialmente uma cidade.



Depois da emancipação, uma mudança no perfil econômico

Da emancipação até os anos 70, Osasco foi um forte pólo de atração de mão-de-obra. Já os anos 80 caracterizaram-se pelas crises econômicas, diminuição do ritmo industrial e pela saída de várias empresas de grande porte. Nos anos 90, veio a mudança do perfil sócio-econômico, com a chegada dos “gigantes” do setor de serviços, como shoppings (Osasco Plaza e Super Shopping) e redes de varejo (Wal-Mart, Carrefour, C&C, Telha Norte, Pão de Açúcar, entre outros). E, já nos anos 2000, houve um novo ciclo de industrialização, cujo símbolo máximo foi a reabertura da antiga planta da Cobrasma, uma das maiores metalúrgicas do País e que voltou a funcionar sob o comando do grupo Amsted-Maxion.

Apesar do seu fechamento da Amsted Maxion, em 2009, a cidade continua atraindo tanto indústrias como novos comércios e serviços. Prova disso foi a mudança da Rede TV para a cidade, há dois anos.


Fontes: sites da Prefeitura de Osasco, Câmara Municipal de Osasco e Jornal Diário da Região e ainda informações do Museu Municipal e do acervo do Unifieo



Fatos históricos colocaram Osasco
em destaque no Brasil e no mundo


A cidade de Osasco tem fatos registrados nas páginas da história do Brasil e do mundo. Em janeiro de 1910, por exemplo, Dimitri Sensaud de Lavaud realizou aqui primeiro vôo da América Latina. Após construir seu próprio avião, com ajuda dos funcionários da empresa de seu pai, o barão Evaristhe Sensaud de Lavaud, ele decolou da rampa construída ao lado da casa da família (o chalé Brícola, hoje Museu Municipal, na avenida dos Autonomistas) e voou 103 metros sobre a atual avenida João Batista.

Outro momento importante da história de Osasco foi a chamada Greve da Cobrasma, em julho de 1968. Em pelo regime militar, cerca de 12 mil trabalhadores de Osasco, impulsionados pelos operários da Cobrasma (os primeiros a cruzar os braços) desafiaram o autoritarismo e paralisaram as atividades das principais empresas da cidade, dentre elas a Fósforo Granada, Cobrasma, Lonaflex, Barreto e Keller.

O movimento, que contou com a organização de sindicatos, estudantes e grupos contra a ditadura militar, deu início a uma série de manifestações semelhantes, em todo o País, contra a ditadura.





  Compartilhe: Twitter Facebook
 
Enviar para um amigo
  Cotidiano
31/03/2015 Chances de rodízio são “baixas”, diz secretário estadual de Recursos Hídricos
31/03/2015 Telecomunicações lideram as reclamações no Procon
31/03/2015 Mercado de trabalho se recupera na região após saldo negativo em janeiro
28/03/2015 Coquetel de lançamento apresenta novo Honda HR-V
28/03/2015 Osasco entrega 300 moradias no Residencial Flor de Lis do Minha Casa, Minha Vida
28/03/2015 Cantareira chega a 18,4% e Alckmin não descarta rodízio durante o inverno
28/03/2015 Campanha internacional Hora do Planeta apaga luzes por uma hora hoje
28/03/2015 MPD ganha Prêmio Sustentax 2014
27/03/2015 A vez da região no Restaurant Week
27/03/2015 Vinno traz sommelier virtual para democratizar o consumo do vinho
27/03/2015 Crise hídrica no Estado “breca” obras da Sabesp na região Oeste
27/03/2015 Obrigatoriedade de extintores é prorrogada por mais 3 meses
27/03/2015 Campus da PUC em Barueri fecha em dezembro. Cursos serão transferidos
26/03/2015 Deslocamento entre Osasco e São Paulo é 4º maior do Brasil
26/03/2015 Governo do Estado anuncia apoio da Polícia Militar para combate à dengue
26/03/2015 Festival LollaPalooza altera a circulação de trens na Linha 9
26/03/2015 Gestão por OS deve dobrar internações no hospital Antônio Giglio, diz secretário
26/03/2015 Os números de uma grande cidade
26/03/2015 UM SALTO NA EDUCAÇÃO
26/03/2015 BOM NEGÓCIO
26/03/2015 Entrevista
26/03/2015 GOVERNO APARTIDÁRIO
26/03/2015 CINQUENTONA COM MUITO ORGULHO
26/03/2015 DE BARUERI PARA AS TELONAS
26/03/2015 TALENTOS DO ESPORTE
26/03/2015 Dubai brasileira e melhor esquina do País
26/03/2015 Barueri celebra 66 anos de emancipação
25/03/2015 Sabesp flagra furto de 26 mil litros de água por mês em Carapicuíba
25/03/2015 Osasco e Barueri receberão novos reservatórios em abril, segundo o governo do Estado
25/03/2015 Greve de garis atinge Osasco, Barueri e Itapevi. Não há previsão de retorno
25/03/2015 Detran-SP alerta sobre serviço clandestino de emplacamento
24/03/2015 Campus da Unifesp Osasco será mais sustentável do País
24/03/2015 Greve dos professores da rede estadual em Osasco tem 40% de adesão
24/03/2015 Unidade do Poupatempo Carapicuíba não funciona nesta quinta-feira, dia 26
24/03/2015 IPVA para final de placa zero vence nesta terça
24/03/2015 Novo viaduto de acesso à Castelo tem tráfego liberado na altura do Km 22
21/03/2015 Cisterna é alternativa para reduzir consumo de água
21/03/2015 Iguatemi Alphaville recebe mostra de decoração
21/03/2015 Jardim 1º de Maio ganha Terminal de Ônibus
21/03/2015 DER implanta novo radar na rodovia Raposo Tavares
20/03/2015 Com crise hídrica, Barueri altera regras para novas construções
20/03/2015 Universidade de São Paulo busca voluntários para aplicar vacina contra dengue
20/03/2015 Termina hoje prazo para beneficiários do Bolsa Família atualizarem cadastro
19/03/2015 Barueri tem quatro vagas para terceira chamada do Mais Médicos
19/03/2015 Sem-teto fecham Raposo por uma hora
19/03/2015 Concurso premia aluno com viagem à Armênia
19/03/2015 Nível do sistema Cantareira chega a 15% após 10ª alta seguida
18/03/2015 Prefeitura de Itapevi aceita parcelamento de tributos em atraso até dia 26 de maio
18/03/2015 Servidores de Barueri têm redução de juros na Caixa Econômica Federal
18/03/2015 Com crise hídrica, Barueri altera regras para novas construções