Segunda-Feira, 18 de Junho de 2018

Política


07/12/2017 - 00:00

Raul Bueno perde no TSE e Pirapora pode ter nova eleição

Após ter sua candidatura impugnada, ele tentava validar o resultado da última eleição, em outubro, da qual foi vencedor. Realização de eleições suplementares ainda está indefinida
Por Redação
Osasco

Raul Bueno

Raul Bueno (Foto: Renato Silvestre)
(politica@webdiario.com.br)
 
 
O Tribunal Superior Eleitoral  (TSE) rejeitou por 7 votos a 0, nesta quinta-feira, recurso apresentado por Raul Bueno (PTB) para validar o resultado da eleição do ano passado em Pirapora do Bom Jesus. O resultado frustra os planos do petebista de assumir a Prefeitura e abre a possibilidade de realização de uma nova eleição para prefeito na cidade. Raul  venceu as últimas eleições, em outubro do ano passado, mas teve a candidatura impugnada e nem chegou a ser diplomado para o cargo. Quem assumiu, em 1º de janeiro, e continua ocupando a cadeira interinamente, até a definição do futuro político da cidade, é o presidente da Câmara Municipal, Dany Floresti (PSD). Sete ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) julgaram o recurso apresentado pela defesa do ex-prefeito para tentar validar o resultado da eleição. Com a derrota no tribunal, o município aguarda a publicação das instruções pelo Tribunal Regional Eleitoral para a realização de uma eleição suplementar, seguindo o calendário estabelecido pelo TSE.  O ex-prefeito de Pirapora do Bom Jesus foi impedido de tomar posse pela Justiça eleitoral no final do ano passado após vencer a eleição de outubro de 2016 por 4.973 votos contra os 4.227 de Gregório Maglio (PMDB). O motivo foram suspeitas de irregularidades em convênios firmados entre 2004 e 2006, quando estava no comando do município pela segunda vez.  Com isso, sua candidatura foi barrada com base na Lei da Ficha Limpa. As irregularidades foram apontadas pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE – SP) e serviram de base para o pedido de indeferimento de registro da candidatura de Raul por parte da coligação “O trabalho tem que continuar”, de Gregório Maglio, que era prefeito à época e tentava a reeleição. Caso haja determinação por novas eleições na cidade, Gregório pode voltar à disputa, que também será aberta a novos candidatos. Esse seria o segundo caso na região nos últimos anos. Em Santana de Parnaíba, houve eleições suplementares em 2013.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Vip Style