Quarta-Feira, 17 de Outubro de 2018

Esportes


03/01/2018 - 00:00

UH..UHU..Tandara é a nossa Pitbull

Esse é um dos adjetivos dados por fãs à atleta do Nestlé/Osasco
Por Redação
Osasco

Tandara

Tandara (Foto: Divulgação)
(esportes@webdiario.com.br)

Basta ela marcar um ponto – e olha que são vários por partida, uma média de 5 por set – para que a torcida do Nestlé/Osasco faça ecoar, pelo ginásio José Liberatti, o grito de “uh, uhu, Tandara pitbull”. Mas ela não é só isso. É também guerreira, rainha, maravilhosa, gigante, poderosa, espetacular, deusa, demolidora e matadora. Essas são algumas das denominações para Tandara, segundo fãs nas redes sociais, e que também foram citadas, nas páginas oficiais da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), em enquete na qual a entidade pediu que seus seguidores  definissem a atacante em uma palavra. A postagem foi ao ar dia 26 de dezembro de 2017, recebendo 6.920 curtidas e 1.036 comentários no Instagram.

No Facebook foram 1.800 curtidas e 683 comentários. “Sempre fico feliz com o carinho e reconhecimento do público. É um incentivo a mais para seguir em frente”, afirma. Tandara tambem traz números impressionantes em quadra. É a maior pontuadora da Superliga 2017/18, com 239 acertos. Mas se engana quem pensa que ela conta quantas bolas põe no chão. Pelo contrário. Confessa até que trocaria essa artilharia. “Sempre dou o máximo em prol da equipe. Sou a maior pontuadora da competição, mas não me ligo muito para isso. Trocaria, sem pensar, pela liderança da equipe na Superliga e, claro, o título de campeã desta temporada”, avisa a oposta, que também é bastante rigorosa quanto ao próprio trabalho. “Não estou satisfeita com meu desempenho individual. Trabalho em cima de porcentagem e sempre busco atingir marcas acima de 50% de aproveitamento, o que nem sempre consigo. Meu foco é em evolução. Quero crescer mais, ciente da minha responsabilidade dentro do time”, completa.

Segundo a estatística da CBV, Tandara também está na ponta como a sacadora mais ‘mortal’, com 17 aces (empatada com Thais Souza, do Fluminense, que leva vantagem no critério de desempate). Mas novamente, segundo ela, isso não  é importante. Tandara destaca que o que valeu a pena foi fechar 2017 com vitórias. “Vencemos os dois jogos no returno e também nos classificamos para a semifinal da Copa do Brasil antes da parada do final do ano. Temos muita margem para crescer e tenho certeza que 2018 será um ano de crescimento e mais vitórias”, aposta. A equipe volta à quadra, pela Superliga, no dia 9 de janeiro, no ginásio José Liberatti, contra o São Cristóvão/São Caetano.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Capa do Dia
Vip Style