Terça-Feira, 22 de Maio de 2018

Política


09/02/2018 - 00:00

Por falta de quórum 63 projetos aguardam votação em Osasco

Vereadores retomaram as sessões esta semana, mas não houve número suficiente de presenças para votar projetos que estão na pauta desde o ano passado, além de 8 vetos do prefeito. Sessões tiveram visitas de Lins e Prascidelli
Por Júlio Rezende
Osasco

Plenario

Plenario (Foto: Luciano Benazzi)
(política@webdiario.com.br)
 
Os vereadores de Osasco abriram os trabalhos legislativos, nesta semana, mas não discutiram nem votaram os 63 projetos que estão previstos desde o ano passado. Além dos projetos, constam ainda 8 vetos de proposituras dos parlamentares, que necessitam ser apreciados para destrancar a pauta. Todas essas proposituras estão contidas na etapa das sessões ordinárias, denominada de Ordem do Dia, que só acontece após a realização da chamada para a verificação de quórum dos vereadores.

Como muitos vereadores se ausentam do plenário, não há presenças em número suficiente para prosseguirem as discussões. Outros fatores também foram obstáculos para que os vereadores não discutissem os projetos nesta semana. Na terça-feira, o prefeito Rogério Lins esteve na Câmara Municipal, para dar início aos trabalhos administrativos e, logo em seguida, a sessão foi suspensa para que o chefe do Executivo conhecesse as novas instalações dos gabinetes dos parlamentares, em prédio anexo, recém-alugado e reformado pela municipalidade.

Na quinta-feira, 9, foi a vez do deputado federal Valmir Prascidelli (PT) “atrapalhar” os trabalhos. Após o petista utilizar a tribuna por cerca de 20 minutos, o período do expediente encerrou e a sessão novamente foi suspensa, não sendo retomada novamente. Dos projetos pendentes, 33 são de autoria do vereador Tinha de Ferreira (PTB) e abrangem várias atividades do cotidiano de Osasco, desde um plano municipal de prevenção ao suicídio, até a criação de espaços de descanso para profissionais de enfermagem nos equipamentos de saúde do município.

Outro destaque é proposta da vereadora Lucia da Saúde (PSDC), que defende a obrigatoriedade de avaliação oftalmológica para alunos das escolas públicas municipais, a partir do 1º ano do ensino fundamental. A Câmara retoma os trabalhos na quinta-feira, 15, após o feriadão de Carnaval.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Vip Style