Quinta-Feira, 12 de Dezembro de 2019

Cotidiano


12/07/2019 - 00:00 - Atualizado em 12/07/2019 - 00:00

Para transformar Rio Pinheiros no "Tâmisa" de SP, Estado vai jogar detritos em Carapicuíba

Lagoa será o destino de 1,2 milhão de metros cúbicos de detritos que serão retirados do leito. Desassoreamento foi anunciado pelo governador João Doria como uma das formas de despoluição do Pinheiros. "Vamos ter um rio nas condições do Tâmisa em 2022", completou ele, referindo-se ao rio londrino que também passou por despoluição
Por Da redação / cotidiano@webdiario.com.br
Carapicuíba

João Doria, governador do Estado de São Paulo

João Doria, governador do Estado de São Paulo (Foto: Divulgação)
A cava de Carapicuíba, também conhecida como “lagoa”, será o destino de detritos retirados durante o processo de desassoreamento – aprofundamento da calha – do rio Pinheiros, na Capital. O anúncio do projeto foi feito nesta sexta-feira, pelo governador João Doria, como parte das ações para a despoluição do rio.  Os trabalhos, por duas concessionárias contratadas pelo Estado, começam na terça-feira. Em um ano serão retirados, do rio Pinheiros, 1,2 milhão de metros cúbicos de detritos. O objetivo, com a retirada dos detritos, é aumentar o índice de oxigenação da água. Mas o processo, para deixar o rio limpo, segue até 2022.

O planejamento prevê a remoção de 2,4 milhões de metros cúbicos de sedimentos nos próximos anos. Em entrevista coletiva, o processo de desassoreamento foi detalhado. Com uma escavadeira embarcada em plataformas flutuantes, máquinas vão retirar sedimentos do leito do rio, depositá-los em barcaças, transportá-los às margens e, em seguida, para disposição final na Lagoa. Para se ter uma ideia do volume que será retirado do leito, o volume mensal destes resíduos, se colocado em caminhões, formaria uma fila de cem quilômetros, equivalente à distância entre São Paulo e Sorocaba. Neste processo serão investidos inicialmente R$ 32 milhões. 

Desde o início do ano, o Estado vem testando novas tecnologias para retirada de detritos do Pinheiros.  Já em ações de rotina, de janeiro a maio deste ano, nas ações de rotina, foram retiradas quase duas mil toneladas de lixo do rio. Como exemplo do que pretende para o Pinheiros, Doria citou o rio Tâmisa, em Londres. “Era considerado morto na década de 50 e agora é considerado limpo. Um bom exemplo e uma boa referência para São Paulo. Vamos ter um rio nas condições do Tâmisa em 2022”, disse. A Lagoa de Carapicuíba também recebeu os detritos do desassoreamento do rio Tietê, mas em ação para combate às enchentes. Em contrapartida, o governo do Estado transformou seu entorno em um parque público, inaugurado em 2011. No caso do Pinheiros, não houve anúncio de contrapartida.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Capa do Dia
Vip Style