Terça-Feira, 17 de Setembro de 2019

Polícia

12/08/2019 - 00:00 - Atualizado em 12/08/2019 - 00:00

Usuários são olheiros do tráfico na Cracolândia em Carapicuíba

Por Erica Celestini e Maranhão / policia@webdiario.com.br
Carapicuíba

"Quando chegamos, eles já saem gritando: sujou, sujou", conta o delegado Heron Alves da Silva, sobre combate ao tráfico na região da Favela Municipal. Na mais recente operação, foram apreendidos 581 pinos de cocaína e 70 lança-perfumes

"Quando chegamos, eles já saem gritando: sujou, sujou", conta o delegado Heron Alves da Silva, sobre combate ao tráfico na região da Favela Municipal. Na mais recente operação, foram apreendidos 581 pinos de cocaína e 70 lança-perfumes (Foto: Divulgação)
Em duas semanas, a região conhecida como “Cracolândia”, em Carapicuíba, foi alvo de cinco operações especiais. Na mais recente delas, na última sexta-feira, realizada pela Dise (Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes), foram apreendidos mais de 581 pinos de cocaína e 70 lança perfumes. Nas ações anteriores, somando ainda intervenções da Polícia Militar, foram 17 quilos de drogas apreendidos e 16 traficantes detidos. A região é tomada por usuários de drogas, principalmente crack, e fica próximo à Favela Municipal, que é o principal alvo das operações e onde os ocupantes do local conseguem ter acesso aos entorpecentes.

De acordo com o delegado Heron Alves da Silva, titular da Dise, as intervenções no local são difíceis porque os próprios usuários são “olheiros” do tráfico, avisando quando as viaturas se aproximam. “Quando chegamos, eles já saem gritando: sujou, sujou”, relata. Ainda segundo o delegado, há também dificuldades pela composição da favela, formada por várias vielas que se interligam e por acessos à linha de trem da CPTM, o que facilita a fuga dos suspeitos. “Estamos fazendo um trabalho contínuo. Aliás, sempre combatemos o tráfico naquela região. É uma área difícil. Em cada viela há um tráfico diferente. Mas, infelizmente, não é mais só um problema policial. É um problema social. São pessoas que precisam de assistência”, completa, sobre os usuários.

A Prefeitura de Carapicuíba, em parceria com o governo do Estado, realiza abordagens na região oferecendo serviços de saúde, incluindo acolhimento em clínicas de tratamento. Até agora, foram 80 abordagens, mas apenas duas pessoas concordaram em ficar nas clínicas. A maioria deles, segundo a prefeitura, não são moradores da cidade e nem população de rua. Por isso, o projeto também prevê tentativa de retomada dos laços familiares.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Capa do Dia
Vip Style