Quarta-Feira, 18 de Setembro de 2019

Política


09/09/2019 - 00:00 - Atualizado em 09/09/2019 - 00:00

Por meio de Ralfi prefeito manda recado para a base

Como "castigo" por ter se ausentado da votação de projetos de antecipam reforma administrativa em 6 secretarias, o vereador, até então aliado ao perfeito, pode perder seus cargos comissionados. Ele também é acusado de ter tentando obstruir a votação
Por Juliana Oliveira / politica@webdiario.com.br
Osasco

A relação do vereador Ralfi com o prefeito Rogério Lins, ambos do Podemos, pode ter azedado de vez. Tudo porque, na semana passada, o vereador se ausentou da votação, na Câmara Municipal, de seis projetos de lei complementares que antecipam a reforma administrativa das secretarias da Indústria, Comércio e Abastecimento (SICA); de Finanças; da Cultura; da Defesa Civil; do Meio Ambiente (SEMA) e da de Desenvolvimento, Trabalho e Inclusão (SDTI).

Outro fator que teria pesado contra Ralfi foi a acusação de que o vereador tivesse liderado um movimento de “obstrução” à votação. Isso fez com que a sessão durasse 8 horas para que o Executivo conseguisse 12 votos favoráveis (são 21 vereadores) para aprovar a reforma que, nesta terça-feira, depende de segunda votação na Casa. Nos bastidores corre a informação de que Ralfi estaria tentando cavar sua expulsão do Podemos, assim não precisaria aguardar a abertura da janela partidária, em abril de 2020, para mudar de sigla.

Como “castigo pelo mau comportamento”, Ralfi pode perder seus cargos comissionados.  “Na verdade, isso já aconteceu em outras gestões, quando o vereador não segue a orientação do líder, pode sim perder alguns privilégios, foi o que aconteceu com Rogério Silva quando Jorge Lapas era prefeito. E isso serve para todos os vereadores que hoje compõem a base de Lins”, disse uma fonte ao Diário da Região.
 
 
 

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Capa do Dia
Vip Style