Sábado, 06 de Junho de 2020

Política


30/03/2020 - 00:00 - Atualizado em 30/03/2020 - 00:00

"Para a saúde não vai faltar dinheiro em hipótese alguma"

Frase é do prefeito de Barueri, Rubens Furlan. "Estamos fazendo um esforço de guerra para vencer o vírus", completou. Cidade já tem uma morte confirmada por Covid-19 e 11 em investigação
Por Graciela Zabotto / cotidiano@webdiario.com.br
Barueri

"Para a saúde não vai faltar dinheiro em hipótese alguma", diz Furlan

"Para a saúde não vai faltar dinheiro em hipótese alguma", diz Furlan (Foto: reprodução/redes sociais)
Em live realizada na tarde desta segunda-feira (30) o prefeito de Barueri, Rubens Furlan, anunciou que teve uma reunião com sua equipe para tratar da economia da cidade e do combate ao Covid-19. “Nessa última semana perdemos drasticamente receita. Sabemos que é um momento muito difícil e que o país vai pagar o preço por essa crise. Mas estamos fazendo um esforço de guerra para vencer o vírus. Depois vamos ter que fazer um esforço de guerra maior ainda para recuperar nossa economia e aí precisa da ajuda dos governos federal, estadual, municipal. É uma realidade que não criamos, foi imposta. Sentei com o meu pessoal para tentar reduzir aqui, enxugar ali, tudo o que for possível nós vamos fazer, mas uma coisa é certa: para a saúde não vai faltar dinheiro em hipótese alguma”.
 
Até o último boletim informativo liberado na noite de domingo (29) a cidade já contava com 12 mortos, sendo um confirmado para Covid-19 e 11 ainda em investigação. São 428 casos em investigação - onde as pessoas já estão em isolamento; 20 pacientes internados em investigação e 10 pacientes em UTI, também em investigação para Covid-19. “O coronavírus está avançando rapidamente”, comentou o prefeito, que voltou a defender as medidas de isolamento social como combate à disseminação do vírus. “Nossa população é em torno de 300 mi habitantes. A população flutuante gira em torno de 250 mil por dia. Imaginem que contribuição estaríamos dando para o coronavírus se liberássemos os comércios e indústrias da cidade”.
 
O prefeito falou sobre liberar o retorno das crianças para as escolas. “Se fizer isso nesse momento nós vamos ser avalistas de muitas mortes que podem ser poupadas, assim como está sendo o presidente da república. Só vamos trazer nossos alunos para nossas escolas no momento que estivermos segurança, fora isso é irresponsabilidade”.
 
Furlan também criticou a postura do presidente Jair Bolsonaro, que defende o fim do isolamento social. “Todos os chefes de Estado do mundo estão tomando providência, menos o do Brasil. Recentemente ouvi uma coisa absurda dizendo que todos vão morrer um dia. É verdade. Todos nós vamos morrer um dia, mas vamos fazer um grande esforço para que não seja agora por causa do coronavírus. Vamos lutar para preservar o máximo de vida que a gente puder para que esses brasileiros possam ajudar a gente a recuperar nossa economia no futuro. Nós estamos fazendo a coisa certa. É uma questão de paciência”, completou.